História da AFCLAS

Patrona
Professora Zulmira Campos

Idealizadora e Criadora
Maria Fleury da Silveira - Irmã Maria Cássia

GUARDIÃS DE UM SONHO

A Academia Feminina de Ciências, Letras e Artes de Santos (AFCLAS) nasceu do sonho de uma mulher - Maria Fleury da Silveira, nossa querida Irmã Cássia. Religiosa da Congregação das Cônegas de Santo Agostinho e professora do Colégio Stella Maris, nasceu em Santos, aos 18 de julho de 1908, onde faleceu, em 15 de outubro de 1995.

Religiosa exemplar, foi também grande incentivadora dos trabalhos realizados pela mulher. Compreendeu, como poucos, essa busca de realização humana em movimento, pelos tortuosos caminhos da Ciência, das Letras e das Artes.

Atenta a essa condição, após longa experiência como educadora, concluiu que a inteligência, percepção e sensibilidade artística femininas mereciam melhor conhecimento e maior reconhecimento, principalmente, algumas preciosas aptidões obscurecidas pelo silêncio.

Da observação ao limiar de tantas ideias, foi tempo suficiente para encontrar o caminho. Fez os primeiros contatos e, devagarinho, foi reunindo mulheres de talento e obra de reconhecido valor em benefício da cultura.

Paciente e perseverante, tendo como referência outras instituições acadêmicas femininas - em especial, a Academia Feminina de Letras de Goiânia -, reuniu trinta e nove mulheres atuantes em diversas áreas. Para uma academia, nos moldes tradicionais, faltava uma, porque a simplicidade e o desprendimento de Irmã Maria Cássia não lhe permitiam a inclusão no corpo acadêmico - ela desejava, apenas, uma academia feminina em Santos. Mas, para as escolhidas, a entidade só teria sentido se a idealizadora participasse também como acadêmica. Então, éramos quarenta!

Assim, no dia 8 de outubro de 1986, Irmã Maria Cássia fundou a Academia Feminina de Ciências, Letras e Artes de Santos, nas dependências do Colégio Stella Maris, onde foi instalada a primeira sede, com a anuência da Senhora Diretora Gilda Camargo de Barros - Madre Maria Lúcia.

No dia 28 de novembro do mesmo ano, em cerimônia oficial, deu-se a implantação, na Câmara Municipal de Santos, sendo Presidente, a nutricionista e poetisa Yedda de Burgos Martins de Azevedo e todas nomeadas sócias fundadoras.

Anos depois, foi provisoriamente transferida a sede para as dependências da Universidade Santa Cecília, onde eram realizadas as assembleias e reuniões de diretoria, recebendo apoio irrestrito do Chanceler Dr. Milton Teixeira.

A AFCLAS é uma associação civil de duração ilimitada, reconhecida de Utilidade Pública pelo entendimento da Lei nº 733, de 6 de maio de 1991, da Prefeitura de Santos. Com sede própria desde 2013, doada pela União Cívica Feminina de Santos, conta com biblioteca - Biblioteca Yedda de Burgos Martins de Azevedo, inaugurada no dia 10 de outubro do mesmo ano, em sala nas dependências da Universidade Santa Cecília. Em 19 de novembro de 2015, foi inaugurada a Galeria Titina Palmieri Brandão - acervo onde estão os óleos sobre tela com assinatura da acadêmica homenageada.

Dentre os fins que a norteiam, segundo seus Estatutos, prioriza a preservação e o aprimoramento da Língua Pátria, o incentivo e a divulgação de trabalhos realizados pela mulher. Divulgar e preservar essas obras foi o critério estabelecido naquele outubro distante, quando as acadêmicas escolheram suas Patronas - mulheres que escreveram, na história de sua vida, páginas da história de nossa cidade, nosso estado, País, ou conquistaram, na história universal, a láurea de suas lutas, do sacerdócio de seu magistério, ou da força criadora de sua arte. Mulheres memoráveis a percorrerem seu tempo no encontro do sem-tempo. Mulheres imortais.

No decorrer desses vinte e nove anos completados em 8 de outubro de 2015, procuramos aperfeiçoar as atividades, internas e externas, no intuito de efetivamente servir à educação e à cultura. Durante as Assembleias Ordinárias, quando as acadêmicas se reúnem mensalmente, além da pauta oficial, reserva-se espaço para pequenos seminários, palestras, mesas-redondas e rodas de conversa, onde flui a troca de informações. Essa modalidade de exercício acadêmico nos permite a atualização em assuntos diversos, considerando-se a abrangência das áreas que compõem a Academia.

A multiplicidade de enfoque vai refletir-se, também, nas atividades externas, ou seja, naquelas dirigidas ao público. Assim, contribuímos com inúmeras conferências, concertos didáticos, encontro de vozes (corais), encontros multiprofissionais, coletivas de pintura, folclore etc; no incentivo a novos talentos, a disponibilidade de auxílio à pesquisa, concursos e maratonas culturais destinadas a estudantes, e a formação de comissões julgadoras em concursos promovidos por outras instituições. No reconhecimento máximo desta Academia ao trabalho cultural da mulher, instituímos, em outubro de 1997, o Prêmio Nair Lacerda, fazendo jus, ao primeiro, a Presidente do Centro de Expansão Cultural, Senhora Aura Botto de Barros, pelos relevantes e incansáveis serviços prestados à cultura santista.

Nesse percurso, Irmã Maria Cássia acompanhou nossos passos, e, certamente, ainda nos antecede, responsáveis que somos pela continuação da obra criada - nós, as guardiãs de um sonho.

De Irmã Maria Cássia ficaram o caráter e a personalidade da mulher abnegada e atuante, na ciência de educar e no exercício da arte. O respeito e a simpatia pelo desempenho intelectual da mulher e os cuidados de promovê-lo, quando necessário; a especialíssima caridade cristã de proteger os menos favorecidos e as batalhas para integrá-los com dignidade no convívio social permanecem entre as lições mais comoventes de nobreza espiritual que pudemos receber, no decorrer dessa passagem. A lembrança de nossas deliciosas conversas, a nos fazerem crescer, perpetua-se em memória viva, com a certeza absoluta de sua intercessão, mais uma vez e sempre, velando os caminhos do Bem, do Verdadeiro e do Belo.


Maria Estela Meira Villani



O Hino da Academia Feminina de Ciências, Letras e Artes de Santos foi composto por Ir. Miria Therezinha Kolling, em outubro de 1986, e apresentado publicamente na Sessão Solene de instalação realizada na Sala Princesa Isabel, no Paço Municipal, em 28 de novembro do mesmo ano.

O sodalício foi concebido e implantado com o nome Academia Feminina de Letras e Artes de Santos – A.F.L.A.S –, tendo o Hino recebido a mesma denominação.

A alteração para AFCLAS ocorreu em dezembro de 1986 - época da elaboração do Estatuto.
Instalação da AFCLAS na Câmara Municipal de Santos - 28/11/1986

Sala da Diretoria até 2012


Mutirão de Folclore - idealizado e dirigido pela acadêmica Meire Berti Gomiero Fonseca.
Centro de Cultura de Santos - 1988
Rua Fernão Dias, 34 - sala 11 -
Tel.: (13) 97419-2434 ID: 35*60*38491 - Gonzaga - Santos